Menu
Comente Comente esta notícia |Compartilhe Compartilhar no Facebook Twitter Instagram Indicar para amigo

Lançamento Honda City

Chegará dia 30 por R$ 56.210

Fonte: Carroonline
Sedã fabricado no Brasil traz motor 1.5 flex; versão top custa R$ 71 095

A Honda diz que ele não é nem uma versão menor do Civic nem uma opção sedã do Fit, apesar do nome City ser uma junção da sílaba inicial do primeiro com o final do nome do segundo. Mas o novo três-volumes da marca japonesa, fabricado na planta de Sumaré (SP), chegará às concessionárias na próxima semana tentando cavar seu lugar entre os dois companheiros de concessionária com preços entre R$ 56 210 e R$ 71 095, valores que o colocam acima de rivais como Fiat Linea (R$ 53 990) e Volkswagen Polo Sedan (R$ 42 360) e perigosamente perto dos consagrados Civic (R$ 64 365) e Toyota Corolla (R$ 59 390) - uma prova dessa "operação de risco" é notar que o Civic mais barato custa R$ 6 730 menos que o City top de linha. Todos as versões terão motor 1.5 16V flex de 116 cv de potência a 6 000 rpm e 14,8 kgfm de torque a 4 800 rpm (com álcool).
 
Buscando ser uma nova referência entre os sedãs compactos, o City terá seis versões: R$ 56 210 (LX manual), R$ 60 010 (LX automática), R$ 61 650 (EX manual), R$ 65 450 (EX automática), R$ 65 375 (EXL manual) e R$ 71 095 (EXL automática). Desde a opção mais simples, o modelo vem equipado com rodas de liga leve de 15", ar-condicionado, direção eletricamente assistida, vidros, travas e retrovisores elétricos, chave com abertura e fechamento das portas, alarme, banco com regulagem de altura, coluna de direção ajustável em altura e profundidade, CD player compatível com MP3 integrado ao painel e airbag duplo.
 
Quem optar por ter o câmbio automático no City de entrada pagará R$ 3 800 por isso, um valor baixo se comparado à média de R$ 5 000 cobrada pelo mercado. A seguir, o Honda City EX oferece ao motorista a mais maçanetas e ponteira do escapamento cromadas, retrovisores com luzes indicadoras de direção, volante com acabamento de couro e controles do sistema de som, ar-condicionado automático digital, rodas de 16", controle de velocidade de cruzeiro e freios com ABS (sistema antitravamento) e EBD (distribuidor da força de frenagem). Na top EXL, as novidades são farol de neblina, bancos de couro e comandos do câmbio automático no volante. Não há opcionais, e para ter algum equipamento é preciso subir de versão, seguindo a política da Honda aplicada aos outros carros da gama.
 
Menor que um Civic, maior que um Fit
Com 4,40 m de comprimento e 2,55 m de espaço entre-eixos, o City é apenas 8 cm mais curto que um Civic. De um eixo a outro, porém, o espaço do sedã mais tradicional da Honda no Brasil é 15 cm superior (2,70 m). Em compensação, o City dá o troco com um porta-malas de 506 litros contra o de 340 litros do rival interno. Quando a comparação é feito com o Fit, o City é meio metro maior, mas o entre-eixos tem apenas 5 cm a mais. O bagageiro do City também é bem superior ao de 384 litros do monovolume.
 
Apesar do preço próximo ao do Civic, a Honda aposta em "atributos diferenciados" para convencer o cliente. Trocando em miúdos, a marca afirma que os carros são muito diferentes e atrairão públicos distintos. A expectativa de vendas é de 4 100 unidades mensais incluindo os carros que serão exportados à Argentina (o volume nacional separado ainda não foi divulgado, mas deve girar em torno de 3 000 carros/mês).














Clique aqui, curta a fanpage do INFOCARRO no Facebook e fique por dentro das principais notícias automotivas.
Siga o INFOCARRO no TWITTER: @INFOCARRO

Fotos:

Comentários:

JimmiXS - 8/8/2016 9:13:06 AM

"BpxMhO http://www.FyLitCl7Pf7kjQdDUOLQOuaxTXbj5iNG.com"

Comente Comente esta notícia |Compartilhe Compartilhar no Facebook Twitter Instagram Indicar para amigo
Veibras

Infocarro nas redes sociais